PALESTRA 07 – RENATO CAMARGO

A infidelidade conjugal e os seus efeitos sobre a família

A família vem sempre em primeiro lugar, e depois o ministério. Devemos tomar muito cuidado no nosso casamento com o “aparentemente bem”, porque nem sempre é sinal de uma estabilidade garantida na relação conjugal. Atitudes inconvenientes podem gerar consequências indesejáveis para toda a família. Sendo assim, prevenir é sempre mais fácil do que consertar ou remediar.

Atualmente somos o país da América Latina que mais trai. Relacionamentos extraconjugais é um problema que atinge a todos, homens e mulheres. Precisamos tomar cuidado, levar a sério e prevenir nossa relação conjugal contra este problema. Não basta que a gente comece bem nosso casamento, mas devemos nos proteger para que também possamos terminar bem.

Quando paramos para pensar nas causas da infidelidade, Emily Brown (Key Briedge therapy and M. Center) cita seis causas:

  1. Indisposição para conflitos.
  2. A falta de intimidade sexual.
  3. O vicio sexual.
  4. A personalidade dividida (falta de caráter).
  5. A fuga.
  6. Outros.

As consequências da infidelidade para o líder infiel é um prazer momentâneo, um descrédito generalizado no contexto social e o estímulo constante à prática da imoralidade. Mas a família também sofre com as consequências e para a família traída a infidelidade traz uma dor extremamente aguda e profunda, esfacelamento da autoestima e a amargura como estilo de vida.

Buscando respostas na Palavra de Deus em Provérbios 5.1-23, podemos ver que o texto tem tudo a ver com a família. Porque consiste na orientação espiritual de um pai para o seu filho e porque apresenta uma mulher que é desprovida de uma família cuidadora.

Segundo Provérbios cinco para resistir a infidelidade devemos seguir alguns passos. Primeiro, decida a quem ouvir em tempos de crise e confusão. O texto começa com “meu filho”, aqui com certeza é o conselho de alguém que ama. É um conselho prudente, que traz atenção as consequências antes de dar o passo errado. E nós chama para o discernimento para entender o que de fato é uma oportunidade ou um abismo para a nossa relação conjugal, para a nossa família.

Em seguida não se deixe iludir por aparências. Nossas fantasias atuam de forma prejudiciais para os nossos relacionamentos. Assim como as comparações são injustas, ingênuas e devastadoras.

Os próximos passos, nos dizem para resistirmos a tentação de desafiarmos os nossos próprios limites, não faça isso. Porque o que de fato devemos e temos que fazer é cultivar um relacionamento conjugal, é muito importante, namore, cuide de sua esposa, da sua família como sua prioridade e submeta-se ao olhar gracioso do Senhor. Por tanto, peça a Jesus que nos dê um coração igual a do Senhor e nos guie na mesma fidelidade na qual Ele caminhou em obediência ao Pai.

DOWNLOAD DO PDFF
2019-08-30T11:06:25-03:00

Comentar sobre esse post