Ong Ctpi - Portal CTPI

Faça um Update Missional

Whatsapp Image 2023 06 06 At 09.33.04 - Portal CTPI

Se você não é um discípulo de Jesus na sua comunidade local, na universidade, no seu colégio, no seu emprego… enfim, em qualquer lugar da sua existência, então você precisa de um update missional. Se você é um discípulo de Jesus hoje, você é o líder da sua igreja no amanhã. Se você é um influenciador da cultura hoje, você vai ser o líder público amanhã.

Agora, qual é a diferença entre update e upgrade

UPDATE é quando você apenas faz uma atualização do seu software e UPGRADE é quando você tem que fazer uma atualização do hardware para atualizar o software. Por exemplo, quando você compra um iphone ou um celular com android você tem em média 2 a 3 anos para atualizar o software. Você só faz um update. Contudo, após cinco ou seis anos em média, você precisa jogar fora o seu celular pra atualizar o sistema operacional. Isso chama-se upgrade. Você muda o hardware para atualizar o software.

E o que é que isso tem a ver com a igreja?

A igreja é o hardware e a teologia é o software. Só que, no caso da igreja, Deus nunca a joga fora. A igreja nunca se desatualiza. Jesus morreu pela igreja e a igreja sempre está se atualizando conforme a cultura muda. Já a teologia não. Esta precisa ser refletida e repensada dentro da sua cultura local, da sua cultura geográfica, do seu momento histórico, para que faça sentido para a vida de homens e mulheres, sejam adultos, jovens ou adolescentes. 

Lembre-se que uma atualização não descaracteriza. Android continua sendo Android. A base teológica não se pode jogar fora. Mas a gente tem que repensar a teologia pelo nosso contexto onde nós estamos inseridos.

Update sempre deve ser feito na teologia. Ela sempre deve ser repensada e aplicada para cada momento histórico. Deus quer que a sua igreja faça um update missional. Deus quer que você reflita teologicamente a sua universidade, o seu colégio, o seu trabalho, a esfera pública e também especialmente o amanhã no qual você será líder. O software no qual nós estamos inseridos na igreja evangélica brasileira está com um bug, está cheio de vírus. Quando você olha para a realidade evangélica brasileira percebe o quanto ela destoa da Bíblia, percebe o quanto os discípulos não são bíblicos, muito menos discípulos de Jesus. Então, eu preciso fazer uma pergunta para entender por que os seus amigos do colégio, do trabalho, da universidade não frequentam a sua igreja e não tem interesse em se tornar parte dela. Serei altamente óbvio na resposta do porquê os seus amigos não estão na igreja. Só porque na sua igreja não toca Beyoncé, não toca de Justin Bieber, não toca Lady Gaga ou Adele. E se o seu amigo for nerd ele não vai à sua igreja porque não toca K-Pop. (Korean Pop ou Pop Coreano. É um estilo de música altamente conhecido dos adolescentes. E se você não sabia, então…)

Brincadeiras à parte vamos responder essa pergunta: por que é que os seus amigos não vão para a sua igreja? Em primeiro lugar, por que as nossas igrejas constantemente apontam os nossos amigos e os não-cristãos para regras. Se o seu amigo fosse por um mês na sua igreja sabe que ele sairia pensando muito provavelmente? Primeiro, você precisa mudar algumas coisas na sua vida para depois você passar a frequentar a igreja. O cara sai de lá com regrinha de que ele precisa mudar para depois ser acolhido, para depois ele ser aceito. O cara sai da sua igreja julgado e mais pesado do que quando ele chegou. Ele ainda vai ouvir líderes religiosos falando que ele não pode mais frequentar determinados lugares, usar determinadas roupas, ouvir determinados estilos musicais, fazer sexo, assistir programas, se relacionar com determinados tipos de amigos. Em outras palavras, ele precisa se isolar e viver em outro mundo.

Um agravante é que quando esse seu amigo olha para a sua vida, quando ele olha para a vida de líderes religiosos há algo de errado. A segunda resposta é a crítica que ele faz. Crítica da incoerência entre o discurso e a vida. Há muita incoerência dos líderes religiosos e a vida prática deles. A nossa geração é uma geração que está cansada de seguir regras vazias, sem saber os porquês. A nossa geração é uma geração que está cansada de incoerência na verdade. Eu acredito que esse bug é causado por uma compreensão equivocada da própria leitura bíblica. Por exemplo, se a gente pegar um texto de Mateus 16.13-19 a gente vai ler esse trecho aqui: “e sobre esta pedra”, Jesus é quem está falando com os seus discípulos – especificamente para Pedro – “edificarei a minha igreja e as portas do hades não poderão vencê-la”. Em outra versão mais antiga, na ARA diz assim: “e sobre esta pedra edificarei a minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Quando você pega esse texto isolado, e o texto fora do contexto ele vira heresia. Sem o contexto, a impressão que te dá é que Jesus vai construir a igreja dele e parece que o inferno está indo em direção à igreja. É como se o inferno tem o seu exército e já está próximo das paredes da igreja. O líder do exército chutando a parede já está à porta da igreja e ele vai entrar com a cultura, ele vai entrar com a ciência, vai entrar com a música, vai entrar com o instrumento diabólico, vai entrar com a tecnologia e o que a igreja tem que fazer nesse sentido é ficar parada. Sua missão é “não vai para guerra” e fica só acuada, tentando se proteger do inimigo. A gente não se envolve com política, com tecnologia, com ciência, com cultura porque é tudo do demônio, porque é tudo uma cosmovisão onde satanás é dono do mundo e a igreja atacada.

Qual é a missão da igreja? Ficar parada se defendendo de satanás, enquanto Jesus não volta? A gente monta o nosso mundo, a nossa cultura e assim a gente não avança nunca e se torna cada vez mais difícil da igreja cumprir com o seu papel verdadeiro. Vai ver surgir a cultura gospel onde passa a existir gírias gospel, cumprimento gospel, a música gospel, um show gospel, roupa gospel, livraria gospel, namoro gospel. E se você convida os amigos para a sua igreja, tem um cara lá carrancudo na porta da igreja, barbudo, com crachá escrito diácono – que seu amigo já não sabe o que é isso, pensando ele diz “será que o nome dele é diácono?” Então o tal diácono – que deve ser o nome do cara mesmo – diz “a paz do senhor varão! Está no óleo? Só na unção, na bênção?”

O que será que exatamente Jesus quer dizer no texto que nós temos? A gente precisa fazer um update missional lendo o texto bíblico a partir da visão de Jesus. Observe o texto que a igreja que tem o DNA missional conhece a sua cultura. Jesus vai perguntar para os discípulos enquanto ele está na região de Cesaréia de Filipe a seguinte pergunta: “quem os homens dizem que o Filho do Homem é?” Filho do Homem é um apelido que Jesus recebe do Antigo Testamento. Os discípulos vão responder o seguinte: “alguns dizem que João Batista, outros Elias e ainda outros Jeremias ou um dos profetas.” Uma igreja missionária conhece a cultura na qual está inserida e o que os seus amigos pensam acerca de Jesus. Nós precisamos conhecer a cultura na qual nós estamos inseridos e não só apenas acerca de Jesus e da espiritualidade, mas de todos os assuntos. Nós precisamos ter o conhecimento do que as pessoas pensam acerca de determinados assuntos, especialmente de Jesus.

Vemos então a resposta dos discípulos. Através de Pedro, que toma a frente, vem a resposta “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” Você sabe o que significa Cristo? Você já ouviu a explicação do seu pastor milhares de vezes que Cristo em grego é o mesmo que Messias em hebraico e que os dois significam salvador. A compreenção disso muda completamente a narrativa.

Você precisa compreender que você não é o ápice da história. Entenda que a história é muito maior e a história da humanidade é muito maior que está inserida na história de Deus e você precisa compreender o que está acontecendo na história e que a palavra Cristo tem a ver com isso. A palavra Cristo tem a ver com a razão pela qual Jesus entrou na história e a razão pela qual Jesus entrou na história começa com o início de todas as coisas.

Deus conta para nós que ele simplesmente existia no início. Não tem resposta do que Ele fazia antes. A Bíblia não fala. Ele simplesmente existe. Ele conta que era um com uma comunidade trinitariana: Deus o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Uma comunidade que vive e se submete em amor, um serve ao outro constantemente, um ama ao outro constantemente, um se submete ao outro constantemente. Quando Ele cria o universo o ápice do universo são seres humanos. Os seres humanos é que são criados à imagem e semelhança de Jesus, logo a imagem de Deus. Logo, os seres humanos – homem e mulher – são criados em comunidade de interdependência de serviço e amor um ao outro, uma comunidade de interdependência para com Deus e para com o próximo, para com a natureza e para consigo mesmo. Era perfeito. Era bom. O homem foi criado com o senso de justiça, de bondade, de retidão.

Deus sempre quis que o homem optasse por uma dependência autêntica dele, voluntária e ele disse ao homem que para que eles pudessem ser voluntários eles precisam ter uma opção de não serem voluntários, e assim Ele colocou no centro do jardim com milhares de árvores, uma que se eles comerem dessa uma eles estariam declarando independência, rebelião, rebeldia e desconexão. E, a partir do momento que eles se desconectarem, teriam consequências! Eles se desconectam da fonte de vida. Eles morrem espiritualmente e fisicamente eternamente. É o caos instalado na história por conta do pecado.

O pecado tomou conta de nós e nos tornamos escravos, tentamos sair mas não conseguimos por conta própria. Sabemos como agir corretamente e até queremos ser diferente mas não é assim, a história não era para ser assim. Eo caos está instalado: existe câncer, corrupção, divórcio, traição, e eu e você tentamos nos salvar como podemos, só que nós não conseguimos em hipótese alguma. Nós precisamos de um agente externo para nos salvar.

Deus, por nos amar demais, resolve entrar na história. Ele é o agente externo que nos salva. Ele entra na história como um ser humano se humilhando, se tornando humilde como nós, limitado como nós, e naquela cruz, Ele nos substitui assumindo a culpa que era nossa para si. Jesus leva a culpa junto. E quando você crê em quem Ele é você é perdoado e ele salva você na história e da eternidade. Ele é o nosso agente externo e ele diz que quem ele é recebe o Espírito Santo que sela, que marca você, dizendo que pertence a ele e ele convida você à uma comunidade de discípulos a qual está em missão no mundo para contar as outras pessoas como agente externo já veio para nos salvar, e Ele começa a restaurar todas as coisas na história.

Jesus convida eu e você a contarmos para as pessoas quem é o Cristo. Depois que Pedro faz essa declaração, tem essa fala em que Jesus diz a Pedro: “você é um cara muito feliz sabe por que? 

Pedro, porque pela sua razão, pela sua lógica, você não conseguiria verbalizar e acreditar nisso. É pela fé em Deus que você experimentou.” Da mesma maneira, eu e você cremos em que Jesus é pela fé e não porque nós merecemos ou porque nós fizemos alguma coisa para merecer, mas porque Deus ama você como você é independente do que você fez ou deixou de fazer e ele te ama. Ponto final. Você faz parte dessa comunidade! O texto continua dizendo e como dentro do contexto faz todo sentido agora, o versículo que nós vemos uma comunidade missional aqui tem o seu DNA missional: é a comunidade que vai em direção ao mundo ou nas palavras de Jesus é uma comunidade que vai em direção ao inferno. Jesus agora diz “Olha Pedro, a partir dessa afirmação que você fez, você é Pedro, você é cabeça dura mas, a sua fala não é de um cabeça dura, e essa sua fala é a fundamentação. É nessa pedra que eu edificarei a minha igreja – que eu vou construir uma igreja e as portas doados não prevalecerão contra ela. Não vão poder vencê-la.” A pedra de que Jesus fala é o Cristo. O fundamento de que Jesus é o Cristo, o salvador da humanidade, de toda a história. A história da humanidade pertence à história de Deus e a história de Deus está restaurando todas as coisas e de maneira muito clara e evidente em Jesus Cristo.

Quando nós cremos, nós somos enviados por Jesus em direção ao inferno. A igreja que está em direção ao inferno é o próprio Cristo por meio da igreja. Quem está indo em direção ao inferno somos eu e você, em direção ao mundo e não é o mundo ou inferno que está indo em direção à igreja. O inferno não vai aguentar o avanço da igreja, não há portas, não há paredes, não há áreas da sociedade, não há política que avance no amor de Deus pelas pessoas. Pessoas vão continuar crendo, pessoas vão continuar sendo restauradas, e Deus convida eu e você e a sua igreja local a termos esse DNA missional, para continuarmos avançando triunfantemente em meio a uma sociedade em direção ao inferno, porque a luz precisa brilhar em meio às trevas. 

Essa é a razão da existência da igreja. A igreja, em sua natureza ela é missional, tudo que ela faz é missional: as programações da sua igreja devem ser missionais, devem estar pensando e refletindo teologicamente nas perguntas, nos questionamentos, no sofrimento das pessoas que estão ao redor da sua igreja. Se é um evento de adolescentes vocês têm que pensar nos amigos que vocês querem alcançar porque vocês são missionais. Se é o grupo de jovens, constantemente fazendo com que as programações sejam atrativas ou ainda em direção aos seus amigos que não conheceram a Jesus, falando a linguagem dos seus amigos que não conhecem Jesus, usando exemplos da cultura para deixar mais claro quem é Jesus, usando da música, usando a ciência, porque é uma igreja missionária e conhece a sua cultura, creio que em Jesus, é estar na direção do mundo quando nós vivemos fundamentados no evangelho. 

Não há poder que vá barrar o avanço de Deus por meio da igreja em anunciar o evangelho alcançar pessoas ao seu amor. A missão da igreja é estar na cidade, a missão da igreja é estar no colégio, a missão da igreja é estar em todas as esferas para que o amor de Deus seja visivelmente palpável.

Algumas perguntas para reflexão e prática.

Primeiro: a igreja que você está inserido compreende que ela tem uma vocação missional? A linguagem dela é missional, as programações dela são missionais, o seu grupo de adolescentes, o grupo de jovens são missionais, as músicas são missionais, a maneira como ela interage com o bairro e com a cidade é missional? 

Segundo, como você pode colaborar para que ela resgate essa vocação? Porque vocês são discípulos de Jesus hoje e serão a liderança da igreja amanhã, e Jesus está passando a bola pra vocês começarem hoje a colaborar com sua igreja a resgatar, ou a descobrir, ou a continuar com a vocação missional dela na história, dentro do contexto econômico, social e geográfico cultural. 

Por fim, você vive missionalmente? As suas atitudes e o seu discurso são coerente com a sua fé? O que você precisa fazer hoje para ser um líder missional da sua igreja amanhã? Por que vocês são os futuros presbíteros, vocês são os futuros diáconos, vocês são as futuras esposas de pastores, esposas de diáconos, vocês são as futuras líderes, os futuros líderes das empresas, do comércio e da esfera pública, das universidades. O que você precisa fazer hoje? 

Tome uma decisão hoje para se tornar um líder missional amanhã!

Palestra realizada no Fórum Jovem Update Missional
Hugo Leme – pastor da Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera

Compartilhe!

Artigos mais recentes